segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Ressonância Magnética e Miomas


A ressonância magnética da pelve é um exame que reproduz imagens de grande resolução e clareza da pelve e de todas suas estruturas e órgãos, permitindo demonstrar com precisão e qualidade lesões tão pequenas quanto um grão de arroz. É um exame totalmente indolor e não prejudicial à saúde. O exame consiste em posicionar a paciente deitada no interior de um grande tubo aberto, dotado de um potente campo magnético, que, quando acionado, é capaz de emitir sinais que serão captados e transformados em imagens de altíssima resolução por um computador. O exame tem duração de cerca de 40 minutos e tem como único desconforto a posição imóvel que a paciente deverá assumir e o ruído desagradável que o aparelho realiza quando é acionado.
Na ressonância magnética de pelve para estudar miomas realizamos uma injeção venosa de contraste magnético, chamado gadolínio. A utilização deste contraste aumenta a capacidade diagnóstica e, ao contrário do iodo, não costuma causar efeitos indesejáveis na grande maioria das pessoas.
A ressonância magnética é de grande valia na investigação dos miomas uterinos, principalmente quando desejamos realizar o tratamento conservador da matriz uterina. Com a ressonância é possível determinar com maior precisão a localização, o volume e o número dos principais miomas, assim como a relação do útero com os órgãos vizinhos, como ovários, bexiga e intestino. Através desta avaliação realizamos a identificação e classificação correta dos miomas existentes, viabilizando um planejamento terapêutico individualizado, evitando cirurgias desnecessárias e melhorando o resultado dos procedimentos propostos, tornando o tratamento mais eficaz e seguro.

2 comentários:

Rubiane Brochi disse...

Olá, sou Rubiane, tenho 28 anos, descobri o Portal do Mioma pela internet.
Estou muito preocupada, sou solteira e ainda não tive nenhum filho. Este ano descobri que tenho útero miomatoso. Gostaria por favor, de seu parecer médico como especialista em miomas para ver que caminho tomar para resolver. Aqui está o resultado da ultra-sonografia feita no dia 28/04/2010.
Em ante-verso-flexão, assimétrico, apresentando formato globoso, contornos balelados e grande volume, pela presença de três nódulos intramurais miometrais porém com abaulamento de contornos.
São hipoecóicos, heterogêneos e irregulares, medindo: 5,8 x 4,7 cm em parede ântero-fúndica; 8,88 x 7,3 cm em parede posterior, desviando eco edometrial anteriormente; 5,8 x 4,7 cm em parede ântero-lateral esquerda.
Eco endometrial medindo aproximadamente 12,5 mm de espessura.
Diâmetro do útero: longitudinal: 17,2 cm ; anteroposterior: 8,7 cm ; transversal: 11,6 cm.
Volume uterino: 907,2 cm³.
Ovários bem delineados com volume e textura normais.
Já fui ao ginecologista e o seu parecer foi a retirada do útero (histerectomia).
Será que há outra solução para quem deseja ter filhos como no meu caso? Seria possível engravidar? Seria uma gravidez de risco? Não há como eu ter um filho pelo menos e depois fazer a retirada do útero?
Aguardo urgentemente o seu parecer de médico. Desde já agradeço do fundo do coração. Que Deus te abençõe.

Anônimo disse...

Olá doutor, sou nábia e já deixei um comentatio anterior a este e lendo sobre ressonância, gostaria de dizer que durante a minha gestação com um mioma subseroso eu fiz uma ressonancia, estava com 22 semanas de gestação, o procedimento foi tranquilo, as imagens do bebe no utero é incrivel, abraços e obrigada pela atenção... nabia kelia vieira 31 anos mâe de um menino de 4 meses e aguardando uma histerectomia.

Depoimento